“É outra estrada completamente diferente, nem de longe lembra aquela bagaceira que estava antes. A gente levava quase 40 minutos até Cristinápolis, nem bem a obra terminou e agora não gastamos mais de 15 para chegar lá, está ficando uma maravilha”. As declarações do motorista Jeová Freire, 52 anos, condizem com o atual cenário no trecho da Rodovia SE-295 entre os municípios de Cristinápolis e Tomar do Geru, no Território Sul Sergipano.


Executada pelo Governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (Sedurbs), a obra faz parte do Programa Pró-Rodovias II, recebe investimentos na ordem de R$ 19.175.357,16 e corresponde à completa reestruturação do trecho entre os dois municípios, perfazendo um total de 14,80 km.


Os trabalhos compreendem a limpeza de bordos, execução de base e sub-base em trechos específicos, serviços completos de drenagem, 17.760,00 m³ de reciclagem com adição de brita em todo o pavimento existente, 118.400,00 m² de imprimação, aplicação de duas camadas asfálticas com vibroacabadora nos oito metros de largura das duas pistas de rolamento, totalizando 14.208,00 toneladas de concreto betuminoso usinado à quente (CBUQ), 236.800 m² de pintura de ligação, implantação de sinalização horizontal e vertical com 8.214,00 m² de pintura termoplástica de faixas e zebrados, instalação de 148 placas de sinalização vertical e 8.378 unidades de tachas refletivas.


O andamento dos serviços


Quem trafega pela rodovia se depara com dezenas de máquinas, entre elas, retroescavadeiras, recicladora, escadeira hidráulica, motoniveladora, rolo compactador, pá-carregadeiras, caminhões-pipa, rolo chapa e de pneus, caminhão espargidor, caçambas e caminhões basculantes, além de uma pequena usina montada especificamente para atender à obra.


De acordo com o secretário estadual do desenvolvimento urbano e sustentabilidade, Ubirajara Barreto, o andamento dos trabalhos é satisfatório. “Apesar de o período chuvoso ter comprometido o cronograma inicial, a empresa executora compensou o período de lentidão aumentando as equipes, tanto é que já foram executadas 100% da limpeza dos bordos, dos drenos profundos, reciclagem, imprimação, bem como concluiu o recapeamento com uma camada mais espessa na entrada da cidade de Tomar do Geru”, explica.


Ele acrescenta que a cada semana a obra ganha mais celeridade. “Atualmente a intervenção está com três frentes de trabalho nas quais 80 profissionais finalizam a imprimação e dão continuidade a aplicação da primeira camada asfáltica, de modo que a obra está 50% executada”, detalha.


Movimento da Economia


Além de atender a uma demanda da população dos dois municípios e melhorar as condições de segurança dos condutores de veículos que trafegam pela rodovia, a reestruturação tem aumentado a renda no comércio de Tomar do Geru.


Gerente administrativa de um restaurante da cidade, Geovana Átila Araújo, 26 anos, afirma que a obra trouxe inúmeros benefícios financeiros para os comerciantes locais. “Por conta dos profissionais que estão trabalhando na recuperação da rodovia passamos a fornecer 200 refeições diárias nos três turnos, de domingo a domingo. Além do nosso estabelecimento, oficinas, postos de gasolinas, supermercados, mercearias e até imóveis de aluguel também passaram a lucrar, já que cerca de 60 trabalhadores estão residindo temporariamente na cidade”, frisa.


Morador de Tomar do Geru há 30 anos, José Paulo Alves, só tem elogios à obra. “A estrada já está com outro aspecto, bem melhor para trafegar. Quando ficar pronta facilitará o escoamento da produção e o deslocamento de veículos entre as duas cidades, principalmente para os muitos motoristas de transporte alternativo que fazem o percurso várias vezes ao dia”, ressalta o oficial administrativo de 59 anos.


Para Ubirajara Barreto, a intervenção será de extrema importância para aquela região do Território Sul. “O trecho em questão foi construído em 1987, nunca passou por uma revitalização e é crucial no encurtamento da distância para quem vem da mesorregião do Nordeste da Bahia com destino aos municípios de Itabaianinha e Tobias Barreto, e por onde circulam diariamente dezenas de caminhões com produtos cerâmicos, laranjas, paralelepípedo e outros tipos de cargas. Todo o asfalto antigo foi reciclado e a ele adicionado material de sub-base e brita graduada. Após a compactação e imprimação serão aplicadas duas camadas asfálticas totalizando 5 cm de espessura, o que garantirá mais durabilidade e segurança a todos que por ela trafegam”, enfatiza.

Fotos: Jorge Henrique