“O município estava precisando muito, pois o antigo estava precário. A população necessitava de um espaço amplo, bonito, com conforto e higiene. Tanto eu, quanto as pessoas com quem converso, estão satisfeitas com essa obra”. As afirmações do comerciante Vanderlei Rodrigues Oliveira, 40 anos, fazem jus ao novo mercado da cidade de Macambira, a 74 km de Aracaju.

Construído pelo Governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento e da Sustentabilidade (Sedurbs), o novo mercado municipal tem investimentos no valor de R$1.020.853,26, provenientes do Programa Sergipe Cidades e dará um novo conceito à comercialização de carnes e laticínios na feira municipal, seguindo as normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

Localizada em uma das praças principais da cidade, a intervenção de 918,96m² chama a atenção pela imponência e já é motivo de satisfação. Morador da sede municipal há 20 anos, Givaldo Bispo dos Santos, só tem elogios. “Tudo que serve à população é sempre bem-vindo e o povo está satisfeito com essa obra. Vai ser bom não somente para os moradores, mas também para os comerciantes”, analisa o vigilante de 50 anos.

O novo mercado

O projeto foi elaborado com o objetivo de proporcionar segurança e conforto aos consumidores e feirantes, sendo construído no formato galpão pré-moldado em concreto armado, com aplicação de piso de alta resistência e cobertura de telha em alumínio, calhas em fibra de vidro e telha translúcida ao centro, o que garantirá iluminação solar em todo o ambiente.

Dividido em cinco largos corredores, o espaço possui quatro portas de entrada, 52 boxes específicos para a comercialização dos mais diversos tipos de carnes e 20 para laticínios. Cada um possui bancada de atendimento ao público em revestimento cerâmico, pia específica para a lavagem de mãos, pia em granito com cuba inox, piso cerâmico, revestimento cerâmico nas paredes e rodapé em alta resistência.

As dependências são compostas por sala de administração, depósito, banheiros masculino e feminino adaptados para pessoas com mobilidade reduzida, dois banheiros com chuveiros — exclusivos para os comerciantes — e sala de processamento e corte com entrada privativa, onde as carnes serão acondicionadas e cortadas antes de serem comercializadas nos boxes.

Complementando o arrojado projeto, a intervenção recebeu um eficiente sistema de drenagem, fossa filtro e tanque de acúmulo, dois reservatórios de água com capacidade de 6.000 litros. As instalações elétricas foram executadas com materiais de primeira qualidade e a iluminação interna é composta por 30 modernas luminárias e 36 lâmpadas de emergência, além do sistema de proteção contra descargas atmosféricas (SPDA).

Visando assegurar comodidade aos frequentadores, a área externa do mercado possui 12 vagas de estacionamento para carros de passeio, cinco para caminhões e uma vaga exclusiva para carga e descarga, projeto paisagístico e bancos de alvenaria com encosto. O direito a acessibilidade está garantido com a construção de rampas de acesso em todas as portas de entrada, além dos banheiros adaptados.

O andamento dos serviços

De acordo com o engenheiro fiscal da obra, Maicon Fraga, os serviços caminham para a conclusão. “A partir da próxima semana os profissionais se revezarão na implantação da iluminação externa, finalização da pintura externa e das instalações elétricas internas. Concluídos esses trabalhos, será finalizada a instalação do sistema de proteção contra descargas atmosféricas (SPDA), implantado o projeto paisagístico e a instalação das louças e metais e, por fim, será feita a ligação de energia, estando assim, apto para ser entregue aos moradores”, detalha.

O novo mercado de Macambira proporcionará melhorias na qualidade de vida da população, uma vez que, nas cidades do interior, as feiras livres têm um significado especial e, quando elas são realizadas em locais organizados, com rigorosas condições de higiene e acesso facilitado, a autoestima de seus moradores se eleva.

Apenas de ouvir falar sobre as instalações, Islane Costa, se mostra contente e ansiosa com o resultado da obra. “Nunca vi por dentro, mas me disseram que está muito bonito e organizado, e que os produtos serão vendidos em lugares específicos. Só de olhar por fora dá para perceber a diferença. O povo está muito satisfeito e não vê a hora de ele ficar pronto”, declara a lavradora de 29 anos.

  Fotos