Dezenas de representantes das redes de empreendimentos de catadores de materiais recicláveis de diversos municípios sergipanos participaram, nesta terça-feira (24), do segundo encontro estadual com foco na implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS).  Realizado pelo Governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (Sedurbs), em parceria com a Superintendência Especial de Recursos Hídricos e Meio Ambiente (Serhma), o evento consolida o trabalho que vem sendo desenvolvido desde a implantação do projeto em 2013.

Na oportunidade, foi realizado um balanço das oito edições dos encontros regionais e do primeiro encontro estadual, bem como discutidas as estratégias de atuação entre as quatro redes constituídas durante esses encontros. O objetivo é alinhar com as organizações de catadores e coletores, as metodologias e ações a serem implementadas na PNRS.

Representando o Governo do Estado, através da Serhma, a coordenadora de Resíduos Sólidos de Qualidade e Educação Ambiental, Elane Alvarenga, destacou que o sucesso dos encontros é fruto do comprometimento dos envolvidos. “A Política Nacional de Resíduos Sólidos fez uma arrumação de parcerias. Assim como o Governo do Estado tem apoiado significativamente esse projeto, o Sebrae tem se mostrado um grande parceiro nas ações desenvolvidas, bem como os gestores municipais, os consórcios formados e, sobretudo, os catadores e coletores, que são os atores cruciais para este processo", frisou.

Em Sergipe, são 1.865 catadores e coletores de resíduos sólidos. Alvarenga explicou que com relação a outros estados brasileiros, Sergipe está muito à frente na política de resíduos sólidos, tanto é que, em breve, estará executando as metas III e IV, o que atesta a competência do Governo Estadual na realização do processo. A intenção do Estado é mudar a vida dos catadores e trazer melhorias ainda para a população, fazendo com que os catadores saiam dos lixões, se capacitem enquanto profissionais, cadastrem-se nas cooperativas, tenham autoestima, dignidade elevada e sejam vistos pela sociedade como mais um trabalhador com seus direitos e deveres.

O evento

Permeado por discussões, análises de atividades, palestras e retrospectos das ações executadas pelas quatro redes de empreendedores (Baixo São Francisco, Grande Aracaju, Sul e Centro Sul e Unidos pelo Agreste), exposições de vários produtos oriundos de material reciclável, também foi debatido no encontro, um estudo de gravimetria (método de qualificar e quantificar o lixo recolhido), servindo de aprendizado para os leigos e reforço para os catadores e coletores que são conhecedores das técnicas.

Há pouco mais de um ano envolvido no processo, o catador da cidade de Malhador, José Carlos Santos, 35, explicou que o envolvimento transformou sua vida. “Ingressei como mais um cidadão e, atualmente, sou presidente da Rede Unidos pelo Agreste. É um projeto que vale demais a pena participar porque a gente se profissionaliza, aprende sobre inclusão e educação ambiental, intermediamos a compra e venda dos materiais recicláveis e ainda contribuímos para a melhoria do meio ambiente, além de fazer parte de um dos principais objetivos da política de resíduos sólidos, que é acabar de vez com os lixões a céu aberto", ressaltou.

Ex-aluno da Organização Sociocultural Amigos do Turismo e do Meio Ambiente da Barra dos Coqueiros (OSCATMA), José Wilker Silveira, 23, afirmou que o envolvimento com a ONG mudou completamente a sua vida. “A OSCATMA realiza projetos socioambientais para jovens, adolescentes e adultos. Era um adolescente muito tímido quando nela ingressei, graças às aulas e ao contato com os demais alunos, deixei de ser introspectivo, participei do Programa Jovem Aprendiz da Petrobras e descobri uma vocação. De aluno passei a ser professor na própria ONG, e, há um ano e três meses, resido em Blumenau, Santa Catarina, onde sou analista de rede de computadores", revelou.

José Wilker assegurou que as instituições socioambientais são relevantes para a conscientização de como devemos cuidar do meio ambiente. “Ser aluno da Oscatma me fez um novo ser humano. Embora resida hoje em uma cidade em que a preocupação com o meio ambiente é significativa, levei meus conhecimentos para a empresa que trabalho. Estou de férias, mas fiz questão de participar desse evento que é muito importante não apenas para as discussões sobre o meio ambiente, mas para os cidadãos envolvidos em todos os processos aqui debatidos", enfatizou.

  Fotos