A prevenção e o enfrentamento a eventuais adversidades e situações de risco que podem ocorrer durante a quadra chuvosa – período que compreende os meses de maio, junho, julho e agosto – são questões amplamente discutidas no seminário ‘Mitigação aos efeitos das chuvas para 2024’, que acontece no decorrer desta sexta-feira, 22, no auditório da Biblioteca Pública Epiphanio Dória, em Aracaju.

Realizado pelo Governo de Sergipe, sob a coordenação da Superintendência Estadual de Proteção e Defesa Civil (Supdec), o evento reúne um público bastante envolvido com a ocasião e atento às falas dos palestrantes reconhecidos nacionalmente, que representa coordenadorias estaduais e municipais de Defesa Civil, Exército, Marinha e segmentos da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), Polícia Militar de Sergipe (PMSE) e Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE), além de técnicos do governo.

Para muitos desses participantes, a ocasião fortalece o trabalho cotidiano, orienta e dinamiza as ações nas localidades. Laranjeiras, por exemplo, é uma das cidades de Sergipe que registra alagamentos quando ocorrem chuvas mais intensas. Para o coordenador da Defesa Civil do município, Ricardo Galvão, um dos 120 inscritos, o seminário está oportunizando clareza da informação e exemplos importantes que servem de direcionamento para todos, de acordo com as respectivas realidades.

“Esse seminário pode ser considerado um guia. Ele nos orienta a agir preventivamente, a fazer trabalhos intensificados e, principalmente, priorizar os cuidados com a população que reside em áreas de risco”, considerou Galvão. O coordenador ressaltou, ainda, que o evento chega, também, para informar os procedimentos a novos coordenadores e coordenadoras de Defesa Civil. “Existem colegas que foram nomeados recentemente, então aqui eles adquiram mais qualificação para impulsionar a jornada”, completou.

Também presente no evento, o coordenador da Defesa Civil de Aracaju, Robson Rabelo, enfatizou que todo ensinamento é válido, principalmente quando se fala em mitigação dos efeitos da chuva, que é o tema do seminário. “Falar sobre esse assunto no período que antecede a quadra chuvosa contribui de forma decisiva para o trabalho dos municípios. Aqui estão palestrantes do Inmet [Instituto Nacional de Meteorologia], integrantes do Grupo de Apoio a Desastres (Gade), são pessoas de renome e que têm grandes experiências em outros desastres, em outras ações, quando as chuvas são intensas. Poder aprender com a experiência do Gade contribuirá para uma resposta mais efetiva, de forma a minimizar os impactos que essas chuvas podem trazer”, relatou o coordenador.

“Encontrar esses técnicos que se dedicam diariamente às suas funções é de grande importância para nós, que fazemos parte da Coordenadoria de Monitoramento e Alerta do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad)”, disse a coordenadora e palestrante Rosane Duque Estrada Vieira. 

Satisfeito com a adesão do público alvo ao evento, o superintendente da Supdec, tenente-coronel Luciano Queiroz, reforçou a importância de trazer para o seminário um tema que trata de prognóstico para a quadra chuvosa. 

O secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano e Infraestrutura, Luiz Roberto Dantas, relatou situações de ocorrências durante a quadra chuvosa de 2023, tanto na capital como no interior de Sergipe. Nesse sentido, ele reforçou a importância das ações preventivas, resilientes e antifrágeis para prevenir riscos decorrentes das adversidades.