Com o propósito de preparar e socializar conhecimentos com gestores e coordenadores de Defesa Civil dos municípios sergipanos, a fim de que eles possam melhor atuar em suas localidades no decorrer da quadra chuvosa – maio a agosto -, o Governo do Estado, por meio da Superintendência Estadual de Proteção e Defesa Civil (Supdec), realiza, nesta sexta-feira, 22, o seminário ‘Mitigação aos efeitos das chuvas para o ano de 2024’.

O evento, que acontece no auditório da Biblioteca Pública Epiphaneo Dória, em Aracaju, teve início às 8h com a abertura oficial e às boas-vindas do superintendente da Defesa Civil estadual, tenente-coronel Luciano Queiroz. “O Governo do Estado tem atuado junto à Defesa Civil para que possamos trabalhar a gestão do risco de desastres. Trouxemos personagens importantes do Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil, que são os órgãos que fazem o monitoramento de alertas e fazem também a meteorologia aqui do nosso estado. As orientações desses especialistas são importantes para que possamos tratar o prognóstico da quadra chuvosa junto às defesas civis municipais, já que eles são os responsáveis pelas primeiras respostas aos desastres, então eles têm de estar preparados, informados e com sua estrutura pronta”, explicou.

União de forças

Conforme programação anunciada, os trabalhos técnicos foram iniciados com a palestra da coordenadora de Monitoramento e Alerta do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad), Rosane Vieira, que reforçou que o caminho para uma sociedade mais segura é unir forças e se manter preparado para enfrentar os desastres. “Um dos nossos focos é ressaltar a importância da parceria e da união entre os governos federal, estadual e municipal. Na hora de um desastre, principalmente no momento de resposta a ele, é muito importante que todos os entes federados trabalhem de maneira integrada para poder minimizar e mitigar os impactos de um desastre frente à população. Todas as vezes que nós unimos esforços, seja em qualquer momento da nossa vida, de uma maneira geral, os resultados são muito mais eficazes do que se cada um trabalhar sozinho”, afirmou.

Dando continuidade ao evento, a meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) Morgana Almeida destacou que, para poder agir com maior preparo, é fundamental estar atento à premissa de conhecer o passado, monitorar o presente e projetar o futuro; ela detalhou o processo de elaboração dos avisos meteorológicos, desde a sua construção até a publicação. “A divulgação da informação científica e meteorológica e as previsões climáticas visam antecipar a questão da preparação para um período mais crítico, como o período de chuvas intensas, então as informações que nós trazemos aqui subsidiam os órgãos de tomadas de decisões, especialmente a Defesa Civil, no sentido de ter toda essa preparação para minimizar os danos e que porventura venha a trazer um evento meteorológico mais extremo”, frisou.

O secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano e Infraestrutura, Luiz Roberto Dantas, representando o governador Fábio Mitidieri, após ressaltar a importância do evento, anunciou que o Governo de Sergipe fará a instalação de 40 estações pluviométricas, distribuídas estrategicamente por todas as regiões, com o objetivo de mensurar o volume de chuvas, níveis e vazões dos rios. “Quando analisamos o histórico do aumento das chuvas nesse período nos últimos anos, principalmente de abril até o mês de junho, que é quando elas são mais intensas em nosso estado e em alguns municípios, é que usamos a máxima de que prevenir sempre é melhor do que remediar. Dessa forma, o Governo do Estado tem contribuído em investimentos não apenas preventivos, mas sobretudo de preparação e ação de resposta”, enfatizou.

Para o adjunto do Escritório Avançado da Operação Carro-pipa da 6ª Região Militar, tenente-coronel Francisco Geovan Ferreira Alves, é importante a participação do Exército no evento. “Apesar de o escritório avançado da Operação PIPA da 6ª Região Militar fazer a entrega de água à população necessitada quando acontece estiagem ou seca, é interessante que possamos conhecer mais  sobre  as consequências da quadra chuvosa aqui no estado. Assim, é necessário estarmos presentes, a fim de coletar dados e ajudar também a nossa situação de escritório avançado”, analisou.

Além das coordenadorias de Defesa Civil de municípios dos oito territórios sergipanos, representantes do Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE), Exército, Vigilância Sanitária, Energisa, Grupamento Tático Aéreo de Sergipe (GTA/SE), Marinha Brasileira, Universidade Federal de Sergipe (UFS), Secretaria de Estado da Defesa Social e da Cidadania (Sedetec), Guarda Municipal da Barra dos Coqueiros, Secretaria de Estado da Saúde (SES), Secretaria de Estado do Meio Ambiente, Sustentabilidade e Ações Climáticas (Semac) e da Defesa Civil dos estados de Alagoas e Pernambuco se fazem presentes no seminário.

Programação

O evento prossegue a partir das 14h30 com a palestra ‘Previsão hidrogeológica para prevenção de desastres naturais’, a ser proferida pelo especialista em Geodinâmica e Geologia de Desastres do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemadem), Pedro Ivo Mioni Camarinha, e será encerrado com o diretor de Planejamento do CBMSE, tenente-coronel Mário Bitencourt, que abordará o tema ‘Como captar recursos em emendas parlamentares’.