“Já conhecia um pouco sobre essa espécie de abelhas, mas este curso foi de extrema importância, pois contribuiu muito para o meu conhecimento e aprendi coisas diferentes do que vi na graduação”. Moradora da capital sergipana, a engenheira ambiental, Oseane Natalice Bigi Santos foi uma das participantes que saíram satisfeitas do minicurso:’Abelhas como ferramentas de educação ambiental’.


Tendo entre os inscritos alunos de cursos e graduações distintas, profissionais e representantes de secretarias municipais, órgãos estaduais e outros interessados sobre o tema, o curso realizado pela Superintendência Especial dos Recursos Hídricos e Meio Ambiente (Serhma), foi um sucesso entre o público participante que aprimoram os conhecimentos sobre esta espécie de inseto.


Idealizado pela Coordenadoria de Educação Ambiental da Serhma, o evento teve como objetivo disseminar a importância da abelha sem ferrão como promotora de um processo guarda-chuva de educação ambiental entre alunos e professores das redes pública e particular de ensino, biólogos, produtores que já trabalham ou que têm interesse em trabalhar com as abelhas sem ferrão e demais pessoas interessadas sobre o tema.


Com adesão expressiva, o público assistiu palestras voltadas ao tema, apresentação cultural do Grupo Teatral EArte da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Aracaju, participou de oficinas e fez um tour pela Sala Verde da Superintendência, além de vivenciarem a experiência em conhecer um ninho das abelhas sem ferrão.


De acordo com o secretário-adjunto de meio ambiente do município de Estância, Carlos Blinoff, a iniciativa foi de extrema importância para que a preservação da espécie seja disseminada. “As abelhas são seres milenares e até hoje perduram com a mesma anatomia. A relevância dada a esse pequeno inseto para o desenvolvimento de toda a nossa flora remete à necessidade do não uso de agrotóxicos, já que eles paulatinamente têm extinguido essas espécies que são responsáveis por mais de 75% da propagação de frutas e vegetais que nos alimentamos”, enfatizou.