Um dos maiores símbolos dos festejos juninos, as tradicionais fogueiras podem danificar o asfalto, mas muitas pessoas não sabem disso. Por esta razão, o Governo do Estado, por meio do Departamento Estadual de Infraestrutura Rodoviária de Sergipe (DER/SE), alerta a população sobre como acender de maneira correta, sem causar prejuízos à pavimentação asfáltica. 

Um dos cuidados que se deve adotar é, antes da colocação da lenha sobre o asfalto, fazer uma base de areia, com uma área de cerca de um metro quadrado com, no mínimo, 50 centímetros de altura. “Quando a fogueira for acesa, essa iniciativa vai amenizar a temperatura, evitar os estragos e contribuir para proteger o asfaltamento”, informa o diretor de Operações do DER, Vinícius Andrade.

Ele orienta ainda que a população utilize alguns blocos para fazer a contenção das brasas da fogueira, para evitar que elas se espalhem pelo asfalto. “Lembramos também que o ideal é que a fogueira fique ao centro e com, pelo menos, 20 centímetros de distância das laterais”, completou.

Segundo o diretor, o dano causado ao asfalto por conta do contato direto da fogueira ocorre por conta da composição do asfalto, o betume, produto derivado do petróleo, que reage ao fogo reage, e a camada asfáltica, seja nova ou antiga, pode ser corrompida com o forte calor das brasas das fogueiras. Desta forma, explica o diretor, o asfalto novo fica danificado porque está em processo de cura, e o asfalto mais antigo é comprometido porque a brasa viva reduz a sua vida útil, consequentemente, acelerando o aparecimento de buracos.