Durante períodos de tempestades de verão, a atuação da Defesa Civil de Sergipe é importante para mitigar os riscos e prevenir desastres, unindo esforços e recursos em prol da segurança e bem-estar da população. Em estreita colaboração com o Governo Federal, o órgão estadual estabelece diretrizes e normas para orientar a atuação dos municípios. Esse alinhamento busca uma resposta mais organizada e eficiente diante de situações de emergência. Quando as capacidades locais se mostram insuficientes, a Defesa Civil estadual entra em ação, oferecendo suporte técnico e logístico.

Foi o que aconteceu nesta quinta-feira, 14, em Itaporanga d’Ajuda. As recentes chuvas que assolaram o município de Itaporanga desencadearam uma série de problemas relacionados à infraestrutura urbana e à segurança dos moradores. O volume considerável de precipitação em um curto período de tempo resultou em alagamentos, especialmente em áreas desprovidas de rede de drenagem ou com obstrução das mesmas. A Defesa Civil estadual foi acionada e, em parceria com o município, está atuando na cidade.  

“Seis casas foram diretamente afetadas, com uma delas desabando e causando ferimentos leves a um morador. Nós estamos atualmente avaliando o risco estrutural das outras cinco residências atingidas, o que pode resultar em evacuações preventivas para garantir a segurança de todos. Se condenadas pela Defesa Civil, serão orientadas a buscar abrigo em residências de amigos ou parentes, ou, se necessário, serão assistidas pelo poder público, podendo receber auxílio financeiro para aluguel ou serem realocadas para locais seguros providenciados pela prefeitura”, explica o coordenador de Recuperação e Gestão de Cenários de Risco, subtenente Moacir Sena.

O Governo do Estado também está mobilizado para enfrentar os desafios decorrentes das chuvas, disponibilizando maquinário para a limpeza de canais e córregos, visando minimizar os riscos de novos alagamentos no município de Riachuelo. Além disso, medidas preventivas estão sendo estudadas, como a instalação de caixas d’água em áreas vulneráveis, com o objetivo de absorver o excesso de água e reduzir os impactos.

Para o secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano e Infraestrutura, Luiz Roberto Dantas, essa troca de informações e a cooperação mútua entre Estado e município permitem uma avaliação mais precisa dos danos causados e das necessidades de reconstrução. “A Defesa Civil estadual desempenha um papel fundamental no apoio técnico e logístico aos municípios. Além disso, o órgão realiza rotineiramente capacitações e treinamentos sobre boas práticas de prevenção, como mapeamento de áreas de risco, planos de contingência e sistemas de alerta precoce”, explica.