O volume considerável de precipitação de chuvas em um curto período de tempo, na última terça-feira, 23, resultou em alagamentos em alguns municípios sergipanos, especialmente em áreas desprovidas de rede de drenagem ou com obstrução das mesmas. Nesta quarta-feira, 24, a Superintendência Estadual de Proteção e Defesa Civil (Supdec) foi acionada pelo município de Salgado e, em parceria com a Defesa Civil municipal, está atuando na cidade, devido a uma ponte de madeira que foi arrastada pela cheia do rio, impactando diretamente a mobilidade local.

Diante desse cenário, a gerente de Planejamento e Gestão de Riscos da Supdec, major Flávia Emanuela Cruz, explicou a importância do monitoramento contínuo e do apoio às comunidades vulneráveis. “Como havíamos alertado anteriormente, o mês de abril iniciou a quadra chuvosa, porém, com exceção do Sertão e do Baixo São Francisco, todas as demais regiões do território já choveu acima da média histórica. Então continuamos alertando a população, que se mantenha informada por meio dos órgãos oficiais, sobre a possibilidade de chuvas intensas, descargas elétricas, ventos fortes, maré alta, regiões que possam sofrer alagamento e inundações, para poder minimizar ao máximo os danos causados por esses eventos adversos”, ressaltou.

Para lidar especificamente com a situação em Salgado, a Defesa Civil do município solicitou apoio técnico à Defesa Civil do Estado. O sargento Alex de Carvalho, gerente de Mapeamento e Segurança de Cenários de Risco da Supdec, explicou a abordagem adotada. “Fomos acionados para prestar suporte no desabamento da ponte que liga os povoados Arrepiada aos povoados Cabral, Grilho e Macedina. Trata-se de uma estrada vicinal. É o principal acesso que liga esses povoados, porém há um desvio de mais ou menos 3km que as famílias conseguem acessar”, detalhou.

A reconstrução da ponte em Salgado representa um desafio logístico e estrutural, mas a atuação conjunta entre a Defesa Civil estadual e as autoridades municipais visa restabelecer a normalidade o mais rápido possível. “Nosso objetivo é fornecer assessoria técnica para orientar o município na reconstrução da ponte e garantir a segurança da comunidade. A assessoria técnica consiste em orientar como fazer o registro no Sistema Integrado de Informações sobre Desastres S2iD do governo federal, elaboração de relatórios de vistoria e como eles podem pedir recursos para tal finalidade”, pontuou o sargento Alex.

Segundo a gerente de Planejamento e Gestão de Riscos da Supdec, a Defesa Civil do Estado permanece monitorando esses eventos hidro, geo e meteorológicos que possam vir a trazer transtornos e danos à população, principalmente as que residem em áreas de risco. “Inclusive apoiando e orientando os coordenadores e gestores municipais durante as ações de resposta”, completou a major Emanuela.